Notícias
ginecomastia_beatriz_medina

Ginecomastia: o que é e como tratar?

Algumas questões relacionadas à saúde física afetam a auto estima dos homens. Uma delas é a ginecomastia, que é algo comum, mas não tão debatido entre a sociedade. Atingindo 40% da população masculina, esse problema pode acontecer em qualquer fase da vida. Para livrar-se dele, é necessário realizar uma consulta médica para obter o diagnóstico e tratar. Descubra, abaixo, o que é ginecomastia e quais os possíveis tratamentos.

O que é ginecomastia?

A ginecomastia consiste no crescimento desmoderado das mamas dos homens. Essa situação ocorre, principalmente, por causa de alteração hormonal, que pode acontecer por mudanças no organismo, patologias ou, até mesmo, motivos desconhecidos. O desequilíbrio surge a partir da diminuição de testosterona, que é o hormônio masculino, e do aumento de estrogênio, que é feminino. Algumas das razões pelas quais o nível de testosterona pode reduzir e suceder a ginecomastia são:

  • Uso de drogas lícitas e ilícitas, como: medicação de quimioterapia, antidepressivos, álcool e heroína;
  • Utilização de anabolizantes;
  • Doenças sistêmicas;
  • Doenças endócrinas;
  • Tumores;
  • Tratamento de radiação nos testículos.

Outra categoria dessa circunstância é a pseudoginecomastia, que advém do acúmulo de gordura na região mamária. Em qualquer uma das duas espécies de ginecomastia, essa situação pode acarretar problemas psicológicos, já que a mama masculina, normalmente, não tem um tamanho maior. Muitos podem não saber, mas essa condição acontece com homens de todas as idades, até mesmo na fase neonatal.

Muitos recém-nascidos tem ginecomastia por causa do contato com o hormônio de estrogênio da mãe durante a gravidez. Estima-se que 60% a 90% dos bebês são acometidos por esse problema, que é resolvido rapidamente de forma natural. Na fase da adolescência, a ginecomastia costuma acontecer aos 14 anos, podendo atingir uma ou as duas mamas.

A porcentagem de adolescentes que desenvolvem a ginecomastia é de 60%. O motivo deve-se ao fato da elevação tardia de testosterona em relação à quantidade de estrogênio, algo comum nesse período da vida. Já em adultos, a ginecomastia afeta de 33% a 41% dos homens que têm a faixa etária entre 25 e 45 anos e de 55% a 60% daqueles com mais de 50 anos.

Quais os tratamentos?

O tratamento para ginecomastia pode ser realizado por meio de medicamentos ou cirurgia. No entanto, há alguns casos em que não é necessário tratar, como no período neonatal e na adolescência, pois o tamanho excessivo das mamas desaparece espontaneamente. Os remédios utilizados para combater essa situação tem a função de regular e estabilizar os hormônios masculinos. Porém, nem sempre fornecem o resultado esperado de diminuir as mamas.

Já a cirurgia, soluciona a ginecomastia. Isso porque, através dela, é possível reduzir as mamas e deixá-las no tamanho considerado normal para os homens. Também conhecida por mamoplastia redutora, ela tem duração de, aproximadamente, uma hora e meia. O paciente é sedado e recebe anestesia. Além disso, em alguns casos também torna-se necessário realizar tratamento psicológico e psiquiátrico.

Trate a ginecomastia com um profissional especialista

Para ter o diagnóstico de ginecomastia e saber qual é o tratamento adequado para o seu caso, é fundamental buscar por um médico especialista, assim como a Dr.ª Beatriz Medina, cirurgiã plástica. Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a Dr.ª Beatriz Medina possui ampla formação acadêmica e experiência profissional. Contando com uma equipe capacitada, ela possui consultórios em Niterói e na Barra da Tijuca para melhor atender seus pacientes. Entre em contato para ter o seu caso avaliado pela Dr.ª Beatriz Medina!

Deixe um comentário!

0 Comentários

Comente

WhatsApp